segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Experiência Espiritualizada Naturalizada

Henry David Thoreau, poeta americano é autor do poema abaixo (que eu traduzi da melhor que pude):

"Em nenhum lugar, Ocidente ou Oriente, vivem os homens uma vida natural, ao redor da qual os cipós se agarrem, e o salgueiro voluntariamente lhe dê sombras. O homem a dessacraliza com o seu toque, de modo que a beleza do mundo permanece escondida sob um véu para ele. Ele não só necessita ser espiritualizado, mas naturalizado, sobre o solo da terra"

Nos meus livros, blogs e outros espaços sempre lamento essa qualidade humana, de estragar tentando curtir, matar tentando gostar, destruir com seu toque. Basta ver nossos projetos, grandes ou pequenos, como anda o mundo e me vem as palavras de Thoreau, "em nehum lugar, Ocidente ou Oriente, vivem os homens uma vida natural". Nos afastamos da Natureza, para fazer nosso ninho.

Mas o que me toca profundamente no poema é Thoreau dizer que o homem precisa ser naturalizado, com mais urgência do que espiritualizado. É preciso espiritualizar as propostas eco, as disciplinas, a vida. Mas é muito urgente naturalizar os espiritualistas. Naturalizar, não se resume àquele processo em que um cidadão de um país requer a cidadania de outro. Daí ser brasileiro, argentino, americano naturalizado. Essa é outra naturalização. A naturalização verdadeira é aquela em que nos tornamos naturais primeiro com a terra, depois com a natureza - inclusive a natureza íntima nossas.

Vamos ilustrar. A IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza é um órgão internacional sério de base científica. É à IUCN que a Unesco recorre na hora de pedir parecer técnico, sério para deliberar sobre um Patrimônio Mundial Natural como o Parque Nacional do Iguaçu / Iguazú e outros. A IUCN é autora da Lista Vermelha de animais em extinção. É séria.

Digo isso para apresentar a IUCN como exemplo. Há dois anos, a IUCN e a Fundação Rigoberta Manchu propuseram a crição de um "Programa para a Conservação da Riqueza em Biodiversidade de Áreas Ambientais Sagradas". A proposta foi anunciada durante a 8a Conferência das Partes (COP-8) da Convenção de Diversidade Biológica (CBD) em Curitiba. Foi entre os dias 20 e 31 de março de 2006, no ExpoCentro, Pinhais-Curitiba.

Isso me dá forças. Lembra do meu livro "A Y-Guaçu Secreta, as Cataratas do Iguaçu como uma Chakra da Terra"?. Considero o Parque Nacional do Iguaçu / Iguazú como uma "Área Ambiental Sagrada" - onde a rica diversidade existente deve ser respeitada e preservada. Onde o cientista tem que tomar consciência dessa realidade e se espiritualizar para, logo depois, ter o prazer de se naturalizar.

Nenhum comentário: