sábado, 22 de novembro de 2008

Proposta no ar: IPG em vez de PIB


Li recentemente aqui que executivos americanos embolsaram milhões de dólares antes da crise financeira. Me lembrei de um especialista gaúcho em cooperativas e presidente da Confederação Latino-americana de Cooperativas e Mutuais de Trabalhadores - COLACOT, Rogério Dalló, que me contou que um dia antes da quebra da Argentina, a carga de dois carros fortes deixaram a Argentina. Parte desse dinheiro veio para o Brasil e foi investido em várias áreas inclusive nas rodovias pedagiadas (Fiz uma pequena nota sobre Dalló no meu blog dedicado a região do Procaxias.

De maneira não oficial eu sempre acreditei que o que se chama de mercado financeiro não deixa de ser "picaretagem". Apresento aos meus leitores um link que lhe levará a uma preocupação atual: como realmente medir o progresso de país. Atualmente se usa o PIB ou Produto Interno Bruto. Acabo de ler um artigo na revista Mother Jones onde se cita John F.Kennedy lamentando que O PIB conta como progresso a poluição, propganda de cigarros, ambulancias para limpar as estradas da carneficina... mede tudo, exceto aquilo que faz a vida realmete valer a pena". Kennedy disse iso em 1968.

A proposta que cresce e é uma preocupação da ONU é adotar um indicador que realmente possa medir a saúde de um povo. Em vez do PIB que é o indicador usado atualmente pelos tubarões, a sugestão é que se adote o IPG (leia mais sobre o IPG). Segundo o PIB o Brasil vai bem. O Paraguai vai bem. A China vai otimamente bem. Mas basta olhar em volta e vemos que os indicadores reais que medem a qualidade de vida do povo está lá em baixo. Sugiro que voce ajude popularizar o IPG.

Outros links:
Para o livro acima

Nenhum comentário: