sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Banco Mundial propõe Revolução Econômica na COP 10. Como?


(AFP) 28 de 2010 - O Banco Mundial pediu na quinta-feira uma mudança radical no modelo econômico dos países que incluem os valores de florestas, manguezais, recifes de corais e outros ecossistemas. Índia e Colômbia estarão entre os primeiros países a participar de um programa piloto de cinco anos com o Banco Mundial para iniciar a revolução económica. O Presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, anunciou o programa, à margem de uma cimeira de biodiversidade da ONU na cidade japonesa de Nagoya.

Logo da COP8 em Curitiba - "A riqueza natural das nações deve ser um investimento avaliado em combinação com o seu capital financeiro, capital manufaturado e capital humano", disse Zoellick. "As contas nacionais devem reflectir os serviços de armazenamento de carbono vital que as florestas prestam e os valores de protecção costeira que vem de recifes de coral e mangues."

Zoellick disse que inclusive os trilhões de dólares em valor dos ecossistemas nas contas nacionais, que ajudariam a biodiversidade que diminui rapidamente no mundo.

Ele deu um exemplo de manguezais costeiros que são sendo derrubadas para a a istalaçao de cultivo de camarões. De acordo com o modelo econômico proposto, o valor que os manguezais têm na proteção das áreas costeiras das inundações e da perda de peixes seria levado em consideração. A Reunião de Cúpula da ONU chega ao fim nesta sexta-feira, 29, com mais de 190 países tentando fechar um acordo que tem uma lista de 20 pontos para proteger os ecossistemas do mundo na próxima década.

Ver mais aqui - tradução via Google. Ver o site oficial da COP 10 Veja propostas de movimentos sociais do Brasil

Nenhum comentário: