domingo, 20 de fevereiro de 2011

Ainda sobre a Revolta do Desespero: Os senhores do choque vão faturar

"Ao redor do mundo, na Grã Bretanha, Etados Unidos, Ásia e Oriente Médio, há pessoas com poder faturando com o caos; explorando banhos de sangue e catástrofes com a finalidade de refazer, brutalmente, nosso mundo à imagem deles. Eles são os doutores do choque*".
Quer seja terremotos no Haiti, no Chile, tsunami no Pacífico e no Índico, os doutores do choque faturam. As cheias, inudações, deslisamento de terras em Angra ou Teresópolis, em Honda (Colômbia) ou Manila, os senhores do choque faturam. Onde quer que seja em Louisiana ou Paris, São Paulo ou Maceió. Faturam com a guerra. Há palestras e conferências do tipo: as oportunidades de negócios das mudanças climáticas. Os governos vão atrás. Por isso a urgência: convenções e acordos sobre prevenção de desastres. Todo o dinheiro vai terminar nas mãos do clube internacional, transnacional dos doutores do choque. As apostas estão no mundo árabe. Estão chamando o "despertar" do mundo árabe de "quarta onda democrática" e, os senhores do choque, já estão querendo pegar carona na crise para vender mais e lucrar. Os senhores e doutores do choque e magnatas do capitalismo do desastre têm membros no Brasil também. O Brasil está conseguindo uma posição importante no clube. O Brasil hoje tem mais de uma centena de empresas globais e um grupo de bilionários que já atuam no mundo em conjunto com os outros doutores da desgraça. "Onda de democratização" é só mais um enganação. O povo está se revoltando com a miséria que os doutores do choque impõem. Parte dessa imposição, suas técnicas e manhas se aprende em cursos de gestão de pessoas, gestão disso ou daquilo.
Revolta em Foz do Iguaçu
Desejo incluir na lista das revoltas globais, a revolta iguaçuense contra a mudança no sistema de transportes. A revolta iguaçuense também é de janeiro, compartilha o mesmo mês com a Tunísia. A imposição foi típica de uma democracia local demofóbica - que deixa transparecer, entrevistas, que tem medo do povo e que o povo é ruim, o povo é sujo, é vândalo, não coopera e não é racional. Para lembrar: Foz do Iguaçu ainda tem uma população majoritariamente desempregada; Ciudad del Este, Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú, Franco e Hernadarias tem um problema grande. Com o fim da muamba com data marcada para 31 de dezembro de 2015, só o Alto Paraná, Paraguai, trabalha coma possibilidade de 300 mil desocupados - com potencial de revolta. Junte-se ao fermento a situação explosiva de Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú. "O governo sabe alguma coisa que nós não sabemos: ou a região será militarizada ou cidades como Foz serão fantasmas". Cidades fantasma será realidade no Brasil em 2040 segundo pesquisa do IPEA que diz também que a população não terá o perfil de hoje e que outros fatores poderão contribuir para futuros problemas. Voltarei ao assunto - vou procurar os dados que guardei e não sei onde estão. Ah!

* Do site de Naomi Klein, apresentando o livro que todos deveriam ler: "The Shock Doctrine: The Rise of Disaster Capitalism" (A doutrina do choque. A Ascensão do capitalismo do desastre) cujas capas aparecem aqui em português,hebraico,árabe,russo e chinês (Taiwan).

Nenhum comentário: