quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

O QUE EU ESPERO DE 2012

Eu tenho treinamento suficiente em questões aleatórias deste mundo e do outro para saber que o mundo não vai acabar este ano. Pelo menos não do jeito que sempre esperei que tivesse acontecido em 1874, 1914, 1975, 2000 e outros anos. O que vai acontecer no ano que vem, segundo expertos do Calendário Maia é que este calendário será encerrado com este ciclo. A partir de 2013 o calendário não teria mais informações pois estaríamos em um ciclo novo. Para mim está tudo bem. É uma icógnita. E isso é bom pois estaremos no comando da situação, de nossas vidas. Podemos fazer a mudança segundo o que queremos. E o que queremos?

Aí sim é um problema. Se o que queremos é o que não pode ser obtido por ser irreal, insustentável – social, econômica, psicológica ambientalmente – então estaremos, de volta, ao velho problema. Aprendi uma palavra nova: altermundista. Disseram que eu sou altermundista quer dizer uma pessoa que quer um outro mundo o que significa que estaria entre aqueles que pregam que um “outro mundo é possível, necessário e urgente” – lembra do Fórum Social Mundial?

Isso quer dizer que eu não assino embaixo, não apoio, não aceito esse mundo que está aí cheio de miséria, desigualdade, corrupção, jogadas econômico-financeiras que levam bilhões à miséria como as que vimos em 2008 ex-USA e agora na Zona do Euro e nos preparamos para entrar aqui no nosso país daquela marolinha anunciada. Quero um outro mundo e pronto! Devemos isso as nossa crianças.

Finalmente 2012 será ano de eleição. Vamos eleger um novo prefeito para todos os 5.566 municípios do Brasil. Será um ano difícil e a guerra eleitoral promete ser feia, daquela vergonhosamente típica da “velha era”. Para quem mora em Foz do Iguaçu e nos outros 15 municípios da rota turística Cataratas e Caminhos ao lago, 2012 será um ano de expectativa semelhante a 2022. Em 2012 não sabemos como vai ser o que vai acontecer com o mundo. Em 2022 estaremos com a grande expectativa do que será a Itaipu com o fim do Tratado de Itaipu?

Lembre-se que o Tratado dura, por tratado, até 2023. Em outras palavras, quem estiver se animando para ser prefeito de Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, Santa Helena, Guaíra e outros lindeiros deve ter a “consciência” de que só temos mais 10 anos de royalties de Itaipu. Royalty é o nome técnico que se dá à compensação financiera paga pela Itaipu ao Brasil (Governo Federal, Estados e Mnicípios) e Paraguai. Para todas as outras hidrelétricas se usa a expressão compensação. Em 2023 a Itaipu quita sua dívida e deve deixar de receber os benefícios e incentivos dos Governos (Brasil-Paraguai), tai como imposto zero, imposto de importação zero, outros impostos também. Como seremos em 2023? Vamos estar melhor ou pior? Tente fazer um exercício de futuro e vamos cobrar!



Nenhum comentário: