segunda-feira, 25 de junho de 2012

A Rio+20 e meu banheiro (de compostagem) seco




A Rio+20 passou. Os governos saíram satisfeitos e os ambientalistas, ativistas e outros lutadores saíram desanimados. Um dos motivos é que não saiu sequer uma definição exata sobre o que é “economia verde”. Eu gostei. A palavra “verde” já foi amplamente abusada. Tudo foi esverdeado. Há boi verde, hotéis verdes, transatlânticos verdes. Toda a economia foi esverdeada. Basta um corante verde no cal branco para esverdear tudo. Tracei um meta para mim mesmo para a Rio+20. Terminei atrasado mas já posso mostrar alguma coisa. Apresento-lhes o meu “banheiro de compostagem seco” (dry compost toilet). Está 90% concluído e entra na etapa científica de testes. Quero saber quanta água deixa-se de usar com as descargas. Para mim sempre me pareceu injusto que a gente use a água para dar descarga. 

Eu tenho um texto que está preparado há pelo menos cinco anos sobre o que chamamos “dejetos” humanos especialmente as “fezes”. Na terra tudo é reciclado. Nossa fezes são um “presente” que damos à natureza. Algo que devolvemos à terra. E é algo que devemos fazer com amor e consciência. A terra saberá usar o seu presentinho para a criação de novo solo, para que outras coisas cresçam e se desenvolvam. Claro que não podemos falar de presente para a terra quando a quantidade de fezes jogada nos rios, lagos e mares é tão grande ao ponto de sufocar os ecossistemas. A principal causa de poluição e destruição dos cursos de água, rios, lagoas, lagos é a nossa tecnologia da descarga junto com o que se chama de “saneamento”. Ir ao banheiro e fazer cocô é algo com o qual não temos intimidade; É um ato secreto. É um ato sujo cujos antecedentes históricos pessoais e grupais estão ligados à nossa reprimida fase anal.     

Com a mão na massa: projetando vaso separador 
“Parte da confusão que pode acompanhar a fase anal é a aparente contradição entre o pródigo elogio e o reconhecimento, por um lado e, por outro a idéia de que ir ao banheiro é "sujo" e deveria ser guardado em segredo. A criança não consegue compreender inicialmente que suas fezes e urina não sejam apreciadas. As crianças pequenas gostam de observar suas fezes na privada, na hora de dar a descarga, e com freqüência acenam e dizem-lhes adeus. Não é raro uma criança oferecer como presente a seu pai ou mãe parte de suas fezes. Tendo sido elogiada por produzi-las, a criança pode surpreender-se ou confundir-se no caso de seus pais reagirem ao presente com repugnância. Nenhuma área da vida contemporânea é tão carregada de proibições e tabus como a área que lida com o treinamento da higiene e comportamentos típicos da fase anal” (Do site Psiquiatria Geral

Como eu creio que a “descarga dos banheiros” é a pior maneira de nos livrar de nossos dejetos; que é a maneira mais fácil e inconsciente de se livrar de nossa fezes e que tal costume é responsável pela poluição e destruição de rios e mares, lhe apresento o meu banheiro seco e trarei informações sobre o que acontece nos próximos dias, meses, anos. Pense nisso!              

Nenhum comentário: