sábado, 15 de dezembro de 2012

Notas sobre o IV Fórum de Ufologia em Foz III



A palestra de Stephen Basset durou 50 minutos que passaram voando e teve como tema: “Abertura Ufológica, Exopolítica e Mudanças de Paradigmas em 2012”. Para ele duas palavras estão presentes na cabeça de ufologistas, cientistas, religiosos, espiritualistas ligados em ETs, políticos entre outros, nesta ordem: “disclosure” e contato. Graças ao filme “Contatos Imediatos”, a maioria de nós já viu um. A outra palavra está mais próxima de “revelação”. Para evitar interpretações diferentes ele deu uma definição da palavra disclosure: “Reconhecimento formal pelos governos do mundo de uma inteligência não-humana, extraterrestre que ‘se articula’ em relação à raça humana”. Esse primeiro passo seria importante para acabar com o “embargo da verdade” conhecido formalmente como o “UFO cover-up” algo como “acobertamento dos OVNIS.

O lixo não está sob controle
Uma coisa que surpreendeu ao público é que essa palestra trouxe uma mensagem ecológica muito mais séria que muitas que foram feitas na Rio+20. Ele listou os desafios reais para a humanidade: Impacto do Controle Global do Clima; Emissões Coronárias do Sol; Poluição Nuclear; Armazenamento do Lixo; Destruição dos Oceanos; Energia (Preço dos combustíveis); Água; Doenças Humanas; Armas Biológicas e o Colapso Econômico. O que nós estamos fazendo para evitar o aquecimento ou esfriamento global? Nada, respondeu. O que estamos fazendo sobre as emissões solares? Nada. Você acha que o armazenamento do lixo na Terra está sob controle? E a destruição dos Oceanos? – perguntou lembrando a existência de correntes de lixo que seguem as correntes marítimas.                           

Sobre os políticos ele disse: “Os políticos não estão buscando soluções – estão simplesmente tentando ganhar tempo. “Nos Estados Unidos tivemos a eleição mais cara da história. Foram US$ 4 bilhões e isso não nos comprou nenhuma proposta real sobre o colapso econômico ou sobre as crises que paira sobre o país e o mundo”, destacou.

Você está vendo asa ou hélices aí?
Basset falou da tecnologia. Já faz tempo que países como os Estados Unidos e muitos outros já possuem  EDT ou Tecnologia Derivada Extraterrestre. “Temos tecnologias EDTs em mãos humanas que estão 50 anos à frente de nosso tempo mas todas “classificadas, proibidas”. Tecnologias que permitiriam diminuir em até 98% o preço da energia mundialmente. “Mas nós não temos nem os meios nem a mídia para isso”, lamentou. A tecnologia ET mais conhecida é a propulsão antigravitacional no que toca ao transporte. Sem falar na ciência genética, na cura de doenças. Ele quis dizer que a solução tecnológica para muitos dos males necessitará tecnologia EDT que não é interessante para o “sistema” econômico e financeiro atual. 

Assange: grande serviço à humanidade
Pelo contrário, os Estados Unidos lideram o mundo na criação do que ele chamou de “Império Secreto” onde só os EUA possuem mais de 15 organizações secretas do estilo CIA, Serviço Secreto e Agencia Nacional de Informação. Em contrapartida, a humanidade possui a tecnologia representada pela internet e um mar de anônimos, de olho, incluindo milhões de crianças de 12 anos que já tem no sangue a disposição de detonar muitos segredos de governos. O público viu aparecer na tela a foto de Julian Assange fundador do Wikileaks – como um dos símbolos da quebra de paradigma em 2012.  Basset trouxe algumas ideia bem originais. Uma delas é que ele propôs ao dicionário webster a inclusão de uma nova palavra na lingua inglesa: specielization que em português seria "especielização". Nós temos especialização, agora a proposta é a palavra especielização que tem a ver com "espécie", com uma visão de nós todos como uma espécie e não como nação, ou país o que cria justificativas para "a próxima guerra". 

Biosfera? Discoesfera!
No tocante à terra, ele elogia e louva o fato de já vermos a terra como uma "bioesfera" ou uma "esfera" que suporta a vida. O convite agora é buscar uma visão de galáxia, da galáxia como o nosso lar. O que sigificaria passar da visão de "biosfera para a visão de "discoesfera". Por último ele falou de uma audiencia pública que acontecera no Senado Americano entre 29 de abril e 3 de maio de 2013. A Audiência Cidadã terá cmo missão registrar e documentar mais de 30 horas de audiência cidadã sobre aquela palavra "disclosure". A última vez em que houve uma audiência pública sobre ETs foi em 1968. "Se o congresso não faz seu trabalho, nós o povo faremos", é o lema. Mais informação sobre o Paradigm Research Group de Stephen Basset neste site   

Nenhum comentário: