sábado, 14 de junho de 2014

Fórum Ambiental do LIDE 2014 em Foz

Personalidades e inciativas empresarias homenageadas no evento
Ouvi coisas impactantes durante esta semana do Meio Ambiente em Foz do Iguaçu. Dois grandes eventos foram realizados na Terrinha das Cataratas. Destaco o 5º Fórum do Meio Ambiente organizado pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais sob a batuta do incansável jornalista João Dória Jr cuja organização tem tantos eventos que, caso fossem realizados um por mês necessitaríamos ter um ano de pelo menos 40 meses.



Bill McKibben, dos EUA disse que a acidez dos oceanos aumentou 30% nos últimos 30 anos e lembrou que seis bilhões de toneladas de lixo são jogadas nos oceanos cada ano. "A melhor época dos oceanos da terra foi durante o período da Segunda Gerra Mundial. Com medo dos submarinos alemães, ninguém ousava entrar no mar para jogar lixo, pescar predatoriamente entre outras atividades". O ex-secretário do Meio Ambiente de São Paulo destacou que "a acidificação dos oceanos não está na agenda dos ecologistas". Outro dado interessante e preocupante é que a atual governança do alto mar é de 0%. Daí o anúncio da Comissão Global dos Oceanos que discute a questão da tendência do mar ser tratado como  "piscina da mãe juana". 

O ambientalista da organização 350.org que luta pela causa climática no meio ambiente disse ainda que  “parte do problema político da Síria deveu-se à seca que após anos vem expulsando milhares ou milhões de sírios de suas terras”. Na pior seca que são Paulo sofreu nos anos 50, havia 60% mais água nos reservatórios que hoje e muito menos gente. A crise da seca em São Paulo afeta a 25 milhões de paulistas. Uma palavra que está sendo muito ouvida no mundo de fala inglesa é "desinvestimento". Desinvestimento em quê? Nas indústrias de combustíveis fósseis como petróleo, carvão, gás e xisto. Dou abaixo links para sites pro-desinvestimentos. "O que temos que fazer agora e urgentemente é deixar 80% do petróleo, gás, carvão, xisto e o que quer seja enterrado lá em baixo". A mensagem é: vamos investir em energias renováveis (solar,fotovoltaica,eólica) e desinvestir em xisto, petróleo, pré-sal, carvão e outras. De onde vem o nome da organização? Vem da seguinte frase do Dr. James Hansen: 

“Se a humanidade quiser preservar um planeta similar àquele que permitiu o desenvolvimento da civilização e ao qual a vida na terra está adaptada, evidências paleoclimáticas e a atual mudança climática sugerem que o CO2  terá que ser reduzido dos níveis atuais para no máximo 350 partes por milhão”.  Hoje estamos numa média anual de 400 ppm e em alguns lugares já se alcançou 480 ppm.      

Nenhum comentário: