sábado, 15 de outubro de 2016

A China pode se industrializar mais vai demorar


O Espírito da Época

A Segunda Guerra Mundial havia acabado um ano antes com a explosão atômica de Hiroshima e Nagasaki. Os Estados Unidos se encontravam na cabeceira de um processo de manter a paz e civilizar o mundo. O país saiu da Guerra como a autoridade em todas as área da indústria.  O texto abaixo foi publicado na revista Seleções do Reader's Digest de  Abril de Março de 1946, pagina 31. A intenção é somente registrar o momento e como as análises mudam com o tempo. A publicação esclarecer e lembrar, sem julgamento que a única coisa permanente é a mudança. A interpretação é sua.


 
Foto Wikipedia


Será lenta a industrialização da China

À primeira vista ...  A China não é um país de grandes cidades; ao contrário, compõem-se de aldeias e pequenas granjas onde vivem uns 85 porcento da sua população, cujo feitio é de todo patriarcal. A voz do chefe da família é lei. A criança é ensinada a respeitar e obedecer os mais velhos, uma aldeia vem a ser, com efeito, uma só família. Quase todas as disputas e pendências na China são resolvidas  por meio de julgamentos improvisados, em que o povo faz a as vezes de jurado. ... O chinês não tem o instinto de cooperação, elemento essencial na indústria moderna, e muito menos um conceito de lealdade para com essa coisa abstrata que é uma companhia e que de si tanto depende da cooperação. 
... Vejamos um caso. Um grupo de operários é chamado para levantar uma locomotiva descarrilada. Seria de esperar, segundo os padrões ocidentais, que eles se colocassem nos lugares indicados pelo capataz e, ao dar voz de comando, começassem o trabalho de suspender a máquina. Não é isso porém que acontece. Em primeiro lugar haverá uma discussão desnecessária entre o capataz e pelo menos uma metade dos trabalhadores. E só depois de uns 20 minutos desse “bate-boca”, é que eles se atiram ao trabalho; e, em regra geral, realizam-no com miraculosa rapidez.         

Nenhum comentário: