terça-feira, 4 de outubro de 2016

Cerimônia do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade será realizada em Salvador (BA)

Uma grande virada em direção ao futuro. Assim pode ser considerada essa nova etapa do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), para reconhecimento às iniciativas de preservação, valorização e salvaguarda do Patrimônio Cultural Brasileiro. Como parte das comemorações dos 80 anos do Instituto, em janeiro de 2017, a cerimônia de premiação deixará Brasília e, este ano, será realizada no Teatro Castro Alves, em Salvador (BA).

A nova proposta é promover a itinerância da premiação. A presidente do Iphan, Kátia Bogéa explica que isso faz com que todos os estados da Federação se sintam contemplados e possam, realmente, participar da homenagem a esses agentes, quase desconhecidos, mas que dedicam praticamente toda a sua vida à valorização do Patrimônio Cultural Brasileiro. “Além disso, marca essa nova fase de atuação do Iphan, de consolidação do conceito de Patrimônio Cultural, visando a integração entre a memória, a modernidade, a sustentabilidade e o empreendedorismo, sempre por meio de parcerias firmes com a sociedade civil, com empresários e com os governos estaduais e municipais”, completa.

Este ano, a premiação faz uma alusão ao Samba de Roda do Recôncavo Baiano, Patrimônio Cultural do Brasil e da Humanidade. Com esse tema, no dia 20 de outubro, a partir das 19h, os vencedores da 29ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade estarão reunidos na cerimônia de premiação onde serão homenageados por baianas e capoeiristas, representantes dos detentores dos bens culturais registrados na Bahia: o Ofício das Baianas de Acarajé; a Roda de Capoeira e Ofício dos Mestres de Capoeira; além, é claro, do Samba de Roda do Recôncavo Baiano. A festa termina com show da cantora nordestina, Roberta Sá. A entrada é gratuita.

Criada no ano de 1987, em homenagem ao primeiro presidente do Iphan, a premiação tem como objetivo reconhecer iniciativas desenvolvidas por pessoas e instituições públicas ou privadas, que mantêm vivo o patrimônio e suas mais diversas formas de expressão. Este ano, os oito premiados vêm de sete estados: Maranhão, Minas Gerais, Sergipe, São Paulo, Bahia, Pará e Rio Grande do Sul.
As ações foram selecionadas em julho, pela Comissão Nacional de Avaliação, entre as 220 inscritas em todo o país. Durante a cerimônia de premiação, o público poderá conhecer os projetos vencedores que fortalecem relações de identidade e preservação da memória social do Brasil. São eles:

Categoria I - iniciativas de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do Patrimônio:
Bumba  meu  boi  de  Zabumba
Ação: XXII Festival de Bumba Meu Boi de Zabumba do Maranhão
O Festival visa à preservação da tradição das brincadeiras do Bumba-Meu-Boi de Zabumba e Tambor de Crioula, mantendo e resgatando suas características, saberes e técnicas originais como comédia, personagens, toque, indumentárias, instrumentos, cantos, danças.
Proponente: Clube Cultural de Bumba Meu Boi de Zabumba e Tambor de Criola do Maranhão
Estado: Maranhão

Som dos Sinos
Ação: Som dos Sinos
Iniciativa pioneira no Brasil, contribui para a salvaguarda e promoção do Toque dos Sinos e do Ofício de Sineiro com novas mídias e tecnologias. Visa à sensibilização e o envolvimento das comunidades locais e do público nacional e internacional na apreciação e apropriação destas expressões como patrimônio cultural imaterial.
Proponente: Marina Thomé
Estado: Minas Gerais

Barco de fogo
Ação: Mestres do Fogo
O objetivo desta ação é desenvolver uma pesquisa para a publicação de catálogo e montar uma exposição sobre o ofício de barqueiros e fogueteiros que mantêm a tradição do barco de fogo na cidade de Estância, visando contribuir para sua preservação e para seu reconhecimento como bem cultural.
Proponente: Sayonara Viana Silva
Estado: Sergipe
Centro  de memória do Circo
Ação: Memória do Circo
O projeto colabora com o desenvolvimento do circo no Brasil, colocando-o em lugar de destaque da cultura brasileira, realizando ações voltadas para a salvaguarda e difusão de seu patrimônio cultural.
Proponente: Verônica Tamaoki
Estado: São Paulo

Categoria II - iniciativas de excelência em promoção e gestão compartilhada do Patrimônio:
Identidade do Povo do Mar
Ação: Identidade e Memória do Povo do Mar
A ação busca ampliar o processo de valorização, resgate e salvaguarda das manifestações culturais da Ilha de Matarandiba e dar continuidade ao trabalho de fortalecimento das tradições culturais da comunidade.
Proponente: Associação Sócio Cultural de Matarandiba.
Estado: Bahia

Ação: ROTEIROS GEO-TURÍSTICOS – Conhecendo o Centro Histórico de Belém
Este é um projeto de extensão desenvolvido na Faculdade de Geografia e Cartografia da Universidade Federal do Pará (UFPA) que visa valorizar a memória sócio espacial e patrimonial de Belém.
Proponente: Maria Goretti da Costa Tavares
Estado: Pará 

Pescando Memórias
Ação: Pescando Memórias
Promover a preservação das comunidades tradicionais ribeirinhas, por meio solidário e criativo, priorizando os jovens, é a proposta deste projeto desenvolvido na cidade de São Brás, uma  comunidade formada, predominantemente, por pescadores.
Proponente: Isabela Bispo dos Santos Santana
Estado: Sergipe
Dia do Patrimônio
Ação: Dia do Patrimônio
Celebrar o patrimônio do povo pelotense é o intuito desta ação que, desde sua primeira edição em 2013, visa promover o patrimônio cultural e enfatizar seu conceito como política pública de cultura.
Proponente: Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de Pelotas
Estado: Rio Grande do Sul

O Samba de Roda do Recôncavo Baiano
Samba  de  Roda  do  Recôncavo Baiano
Inscrito no Livro de Registro das Formas de Expressão em 2004, como Patrimônio Cultural do Brasil, e reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, em 2005, esta é uma forma de expressão musical, coreográfica e festiva de matriz africana, mesclada aos traços culturais trazidos pelos portugueses, principalmente, pelo uso da viola e do pandeiro, e da própria língua portuguesa nos elementos de suas formas poéticas. Seus primeiros registros, com esse nome e com as características que ainda hoje o identificam datam da década de 1860.

O Samba de Roda do Recôncavo Baiano está presente em todo o Estado da Bahia e é especialmente forte e mais conhecido na região do Recôncavo, a faixa de terra que se estende em torno da Baía de Todos os Santos. Pode ser realizado em associação com o calendário festivo – caso das festas da Boa Morte, em Cachoeira, em agosto; de São Cosme e Damião, em setembro; e de sambas ao final de rituais para caboclos em terreiros de candomblé. Contudo, o prazer de sambar pode se dar a qualquer momento. 

Rodrigo Melo Franco de Andrade


Rodrigo Melo Franco de Andrade
O advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nasceu em 17 de agosto de 1898, em Belo Horizonte. Foi redator-chefe e diretor da Revista do Brasil e, na política, foi chefe de gabinete do ministro da Justiça, Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getulio Vargas. O grupo era formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922. Rodrigo Melo Franco de Andrade comandou o Iphan desde sua fundação, em 1937, até 1967.




Serviço:
Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade
Cerimônia de Premiação
Data: 20 de outubro de 2016, às 19h
Local: Teatro Castro Alves 
Endereço: Praça Dr. Mario Macedo Costa, s/n 
Campo Grande, Salvador (BA)

Fonte deste material
Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br
Fernanda Pereira / Adélia Soares


Nenhum comentário: