sábado, 13 de julho de 2019

O que é, o que é que tem 7 Arcos e 3 Degraus? Resposta, abaixo



Resposta: as Cataratas do Iguaçu! 

E esse é o título do livro pré-lançado em entrevista coletiva do Iguassu Visit no Festival (de Turismo) das Cataratas, no dia 13 de junho, em uma das salas de eventos do Recanto Park em Foz do Iguaçu. Hoje,  um mês após, posso olhar para trás e ver que o evento, organizado pela equipe do Visit Iguassu foi inesquecível. E eu tive o privilégio de ser escalado para falar sobre o livro, como parte da entrevista coletiva da entidade de divulgação do turismo de Foz do Iguaçu. 


Agradeço imensamente a oportunidade e saúdo as autoridades que participaram da mesa para falar sobre as políticas da instituição na área de divulgação do turismo na área de eventos, turismo de lazer e políticas de apoio. Estavam falaram com os cerca de 20 ou 30 jornalistas de turismo a diretora de Visitors (Turismo de lazer) da entidade Elaine Tenerello, a diretora financeira Jurema Fernandes e o vice-presidente da entidade e o organizador do Festival das Cataratas, Paulo Angeli. 


Na equipe organizadora estava o responsável pelo departamento de relacionamentos, Rodrigo Mattje e a diretora de Projetos Simone Gogenski. O presidente da entidade, Jaime Nascimento não estava presente por motivos de saúde e diretor-executivo, Basileu Tavares se encontrava chefiando outra equipe que participava em uma ação em Londres, logo após ter voltado de uma ação na China. 


O livro

O nome completo é: "7 Arcos e 3 Degraus - Tudo o que você ainda não sabe sobre as Cataratas do Iguaçu". 


São 266 páginas dedicadas às Cataratas do Iguaçu. São 20 capítulos. De um a 13, explora as Cataratas Fisicas: flora, fauna, história geológica, história da fronteira e da ocupação da Área Cataratas em linguagem simples. O livro se concentra nas Cataratas e na "Área Cataratas", não sendo objetivo dele abordar o Parque Nacional do Iguaçu, o todo. A segunda parte aborda as diferentes visões de cataratas para diferentes culturas: xamânicas, budista, afro-brasileira e da Nova Era (Os povos dos Cristais, por exemplo). 

  


Por que do livro?

O livro é fruto de anos de observação das Cataratas, do turismo e do turista. A meta é dar combustível para a discussão das Cataratas além de questões como "qual é lado é mais bonito", é "quem é melhor, maior, mais alta, maior do mundo? Niágara, Vitória  ou Iguaçu?    


O que esperam dele? 


O livro foi 100% bancado pelo Visit Iguassu, o Instituto de Promoção Turística do Iguaçu. Quando apresentei o boneco ou o livro quase pronto (98%) faltando finalizar um e outro trecho. O projeto foi levado ao conhecimento da diretoria e aprovado em reunião. Em uma rápida conversa com o presidente Jaime Nascimento, ele disse em parte: "o apoio ao livro tem o objetivo de trazer para o turismo uma visão diferenciada sobre nosso principal atrativo e uma leitura da nossa cultura".      



Os Arcos, Degraus e Níveis
 
A erosão foi a ferramenta usada para esculpir as Cataratas e nem a natureza e nem sua ferramenta (a erosão) trabalham em linha reta. Clicando na foto acima para ampliá-la, você terá a visão de quem está em um avião, há minutos de voo das Cataratas. Destaco aqui,  o maior dos grandes arcos das Cataratas: dá para ver o antigo mirante (estilo farol do PNI argentino) e a extremidade em frente ao hotel das Cataratas. Esse arco, o maior das Cataratas é visto da estação espacial. Neta foto, abordo de um avião da AZUL, usei uma lente 135 mm para aproximar. Os astronautas na Estação Espacial devem usar uma lente um pouco maior (Pode rir!).  O segundo arco é visível na foto também. Os degraus, devem-se ao fato das Cataratas caírem em três "andares": do nível superior, para o nível médio, do nível médio.       

 
E agora? 
 
Preciso vender o livro. Por quê? Porque é necessário bancar a edição em Inglês e em seguida em espanhol. E porque as ideias expostas no livro devem se espalhar. Honestamente sinto que todo membro da comunidade de Foz do Iguaçu deve e merece conhecer a propostas do livro. A comunidade nacional e internacional acompanharão.

 
E os níveis? 
 
Os níveis têm a ver com os Sete Níveis de Relacionamento com as Cataratas do Iguaçu. Na verdade é possível pensar em sete níveis de relacionamento com tudo mais: na administração pública ou privada, nos relacionamentos pessoais,na relações entre países - em tudo. Mas no caso das Cataratas o livro rejeita as seguintes "sete" abordagens:

 
1) Dois lados
2) Dois países
3) Um lado mais bonito
4) 185 saltos (Versão brasileira)
5) 285 saltos (Versão argentina)*
6) Mero atrativo turístico  
7) **

 
* Afinal quantos saltos são?
** Ainda não é hora de falar da visão rejeitada de número 7 

Para comprar

O livro já está disponível na Amazon.com.br. Link no canto superior esquerdo do blog. A versão Kindle deverá estar no ar logo, logo.
As vendas em Foz do Iguaçu serão lançadas logo após um lançamento que está sendo organizado.   

sábado, 22 de junho de 2019

Vários dos Guias já estão disponíveis online no Blog de Foz


A Foz do Iguaçu Católica (Oficial)
Mini Guia Cataratas, lado brasileiro

Ceaec - Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (Oficial)
Espaços Afro-Brasileiros em Foz 
(English)
Templo Budista

Guias para entender o Templo Budista

Os diversos guias criados, pensam no visitante ou morador de Foz do Iguaçu, que visite este e outros atrativos,  como um ser inteligente que tem direito à informação e à orientação. O tempo budista, por exemplo, é visitado por milhares de pessoas de todo o mundo. E para a maioria, há falta de informações básicas sobre  o que passa na frente de seus olhos.  

O primeiro produto criado foi o Guia Meditativo do Templo Budista Chen Tien que já está disponível em português, espanhol e inglês. Ele é Meditativo, considerando que o visitante seja inspirado em visitar o local com presença de espírito, estando no momento e que possa respeitosamente aprender sobre os valores do templo visitado.
 

Na prática, eu utilizo os guias para distribuir para pessoas que eu acompanhe até o templo. São grupos de pessoas que participem em uma de minhas palestras vivenciais, cursos e passeios. Mas nada impede de que os guias sejam disponibilizados para hotéis, empresas de turismo, escolas e outros grupos que tenham interessem em compreender o que as diferentes imagens no templo representem. É uma maneira também de entender um pouco sobre o pensamento budista.